A solenidade deste último domingo do ano litúrgico da Igreja nos coloca frente à realeza do Rei Jesus. Criada em 1925, pelo Papa Pio XI, essa festa litúrgica é a ocasião propícia para podermos reconhecer, mais uma vez, que, na cruz de Jesus, o poder dominador, o poder opressor, criador de desigualdades e exclusões, espalhador de sofrimento por todos os lados, está definitivamente derrotado. Isso se deu pelo seu modo de viver para Deus e para os outros. O fracasso na cruz é a vitória de Jesus sobre o mal, o pecado e a morte, por meio de sua ressureição.

Compartilhe: